Programas de Rastreamento Para HPV

As lesões por HPV têm cura. Eu não me canso de repetir isso.

Mas para isso é necessário um diagnóstico precoce das lesões pré-cancerígenas, isto é, o diagnóstico das lesões de alto grau NIC 2/3.

Para chegarmos ao diagnóstico destas lesões é necessário um rastreamento da população.

O rastreamento consiste na aplicação de um teste ou exame numa população sem sintomas, aparentemente saudável, com objetivo de identificar lesões sugestivas de câncer e encaminhá-la para investigação e tratamento.

Os testes utilizados em rastreamento devem ser seguros, relativamente baratos e de fácil aceitação pela população.

Os países que implementaram programas de rastreamento para sua população conseguiram uma expressiva redução na morbimortalidade do câncer de colo do útero.

Os testes que dispomos na atualidade para o rastreamento do câncer de colo do útero são:

  • O Exame de Papanicolau (também chamado de citologia oncótica ou colpocitologia oncótica)
  • Os testes de HPV por biologia molecular (a captura híbrida ou o PCR para HPV de alto risco com genotipagem).

Os Exames de Papanicolau e Testes HPV se Complementam

O Exame de Papanicolau identifica células alteradas pelo HPV no colo do útero.

Os exames de captura híbrida ou PCR para HPV irão detectar o vírus HPV no colo do útero.

Na realidade, esses exames se complementam, uma vez que o Exame de Papanicolau tem uma baixa sensibilidade, porém uma alta especificidade.

Diferente dos testes de HPV por biologia molecular que têm alta sensibilidade e baixa especificidade.

E o que isso quer dizer?

A sensibilidade é a probabilidade de um teste negativo ser realmente negativo.

Se o Exame de Papanicolau tem uma baixa sensibilidade significa que um exame negativo tem uma probabilidade razoável de não ser realmente negativo.

A especificidade é a probabilidade de um teste positivo ser realmente positivo.

Como o Exame de Papanicolau tem alta especificidade, uma vez alterado, dificilmente este exame estará errado.

Raciocínio inverso devemos ter para os testes de HPV. Como estes testes têm alta sensibilidade, um teste positivo não necessária indica que um indivíduo tem uma lesão por HPV.

Ele pode estar infectado pelo vírus HPV, mas esse vírus pode não estar promovendo uma lesão.

Encaminhamento Para Colposcopia

Após o rastreamento, que é a primeira etapa para a prevenção do câncer de colo do útero, seguimos para a segunda etapa que é a investigação dos exames de alterados.

Assim, diante de um Exame de Papanicolau alterado ou um teste para HPV de alto risco positivo, o ginecologista irá avaliar a necessidade da realização do exame de colposcopia.

Esse exame irá avaliar a real existência e a gravidade das lesões causadas por HPV no colo do útero.

Diante de uma alteração colposcópica, pode-se realizar uma biópsia da lesão para confirmação do diagnóstico suspeito identificado durante o exame de colposcopia.

O maior objetivo da colposcopia é fazer uma correta diferenciação das lesões com probabilidade de desaparecimento espontâneo das lesões que necessitam de tratamento imediato para impedir a progressão para o câncer de colo do útero.

A colposcopia tem um valor inquestionável, evitando o tratamento desnecessário das lesões de baixo grau e indicando retirada imediata das lesões de alto grau que poderiam evoluir para um câncer.

Se você tem indicação de fazer uma colposcopia, não fique adiando esse exame…ele pode salvar a sua vida.