Exames de Colposcopia

HPV – As 10 dúvidas mais frequentes

As 10 dúvidas mais frequentes sobre HPV

A incidência do vírus HPV ainda é muito alta em todo o mundo, e no Brasil não é diferente.

Segundo a OMS, estima-se que 630 milhoes de pessoas estejam infectadas pelo vírus do HPV em todo o planeta.

Com um número altíssimo de infecções pelo vírus, é normal que muitas pessoas tenham dúvidas com relação ao assunto.

Por isso, resolvi listar as 10 dúvidas mais frequentes sobre o HPV que esclareço diariamente em meu consultório.

Como especialista no tratamento do HPV, tendo atendido mais de 7 mil de pacientes infectadas pelo vírus, venho esclarecer de forma simples os principais questionamentos sobre sobre o tema e te deixar tranquila sobre o assunto.

Confira abaixo a minha lista das 10 principais dúvidas sobre o HPV.

O que é HPV?

HPV significa papilomavírus (HPV, do inglês: “Human Papillomavirus”).

Os HPVs são vírus capazes de infectar a pele ou as mucosas.

Existem mais de 150 tipos diferentes de HPV, sendo que cerca de 40 tipos podem infectar a região genital e o ânus.

Estudos no mundo comprovam que 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas. Essa percentagem pode ser ainda maior em homens. Porém, a maioria das infecções é transitória, sendo combatida espontaneamente pelo sistema imunológico, regredindo entre seis meses a dois anos após a exposição, principalmente entre as mulheres mais jovens.

Você conseguiu entender que não é a única no mundo que tem HPV?

A infecção por HPV é muito mais comum do que você pensa.

Como posso ter adquirido o vírus do HPV?

A transmissão do vírus se dá por contato direto com a pele ou mucosa infectada. A principal forma é pela via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Assim sendo, o contágio com o HPV pode ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal.

Vou explicar de uma forma mais clara. A transmissão se dá principalmente pelo contato.

A camisinha NÃO protege 100% contra este vírus, pois a transmissão pode ocorrer pelo simples contato com um pênis, vulva ou MÃO infectados.

Meu parceiro precisa ir a um médico? Meu parceiro me traiu?

É sempre recomendado a visita a um bom urologista. É importante a avaliação da possível presença de verrugas, placas ou lesões no pênis, púbis, saco escrotal, períneo e ânus.

A maioria das lesões tem cura espontânea e o período de incubação, desde a contaminação pelo vírus até o aparecimento da lesão, pode ser de dias, meses ou anos.

Assim, é quase impossível saber quem nos contaminou.

Uma infecção por HPV não é indicativa de traição, pois o vírus pode ter sido adquirido há muitos anos atrás.

Há quanto tempo eu tenho o vírus do HPV?

Não se sabe por quanto tempo o HPV pode permanecer latente e quais são os fatores responsáveis pelo desenvolvimento de lesões.

As manifestações da infecção podem só ocorrer meses ou até anos depois do contato.

Por esse motivo não é possível determinar se o contágio foi recente ou antigo.

Quais são os sintomas da doença?

Alguns tipos de HPVs causam as verrugas genitais, o famoso condiloma. Outros tipos de HPVs simplesmente não causam sintomas e SOMENTE serão detectados pelo exame de PREVENTIVO.

O EXAME DE PREVENTIVO DEVE SER REALIZADO PERIODICAMENTE PARA IDENTIFICAR CÉLULAS ALTERADAS PELA AÇÃO DO HPV!!!

O PREVENTIVO NÃO TEM POR OBJETIVO FAZER DIAGNÓSTICO DE CORRIMENTO VAGINAL.

O PREVENTIVO É PARA PREVENIR O CÂNCER DE COLO UTERO, QUE É CAUSADO NA GRANDE MAIORIA DAS VEZES PELO HPV, QUE NÃO SOME ESPONTANEAMENTE QUANDO NÃO É TRATADO DE FORMA ADEQUADA.

A camisinha protege 100% contra o vírus do HPV?

Não, a camisinha não é uma proteção 100% efetiva contra o vírus HPV.

Como mencionado acima, a transmissão do vírus do HPV acontece com um simples contato com um pênis, vulva, vagina ou mãos infectadas.

Posso ter HPV e meu preventivo ser NORMAL?

Sim, o exame preventivo não tem sensibilidade de 100%, podendo apresentar falhas  , por isso devemos repeti-lo periodicamente.

Um exame preventivo pode apresentar erro ou simplesmente não conter células alteradas pelo o vírus naquela amostra.

Mas fique calma, pois o câncer de colo de útero é muito lento e demora anos para aparecer.

O importante é repetir o seu preventivo sempre que seu médico solicitar.

HPV tem cura?

SIM, AS LESÕES POR HPV TEM CURA.

A maioria das pessoas sexualmente ativas apresenta infecção por HPV pelo menos uma vez na vida.

Acredita-se que quase 80% da população já foi, está ou será infectada pelo HPV.

Mas essas pessoas terão câncer? Claro que não…. a maioria destas infecções por HPV tem cura espontânea, sem qualquer remédio, creme vaginal, vitamina ou tratamento.

O câncer de colo do útero é um desfecho muito raro, mesmo na presença da infecção pelo HPV de alto risco oncogênico.

O hábito de fumar pode aumentar o risco do câncer de colo do útero?

SIM. O tabagismo é um dos principais fatores de risco para impedir a cura espontânea do vírus do HPV.

O tabagismo é um dos principais fatores de risco para permitir a infecção persistente pelo HPV e o desenvolvimento do câncer de colo do útero.

Acho que está na hora de PARAR DE FUMAR, não acha?

Qual a diferença entre HPV de alto risco e HPV de baixo risco?

Existem 2 tipos de HPV: O HPV de baixo risco para câncer, que são os vírus responsáveis pelas verrugas genitais (ou condilomas) e o HPV de alto risco oncogênico, que são aqueles que podem causar lesões no colo uterino (as lesões de baixo e alto grau são explicadas em outro tópico).

Um HPV de alto risco muitas vezes causa uma lesão de baixo grau (NIC 1), que podem TER CURA espontânea.

 

Espero que o esclarecimento das dúvidas acima tenham servido como uma forma de te tranquilizar sobre o tema.

O HPV, se identificado e tratado não será um tormento para a sua saúde.

Procure o seu ginecologista e faça o seu exame periódico, sua saúde agradece.

Quer compartilhar este conteúdo? Utilize os botões abaixo.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no telegram
Telegram

Deixe uma resposta

×

Obrigada por entrar em contato!

Este é um canal de atendimento para marcação do seu exame de colposcopia.

Sou especialista em HPV e não realizo consultas ginecológicas de rotina.

Muito Obrigada!

× Marcação do Exame de Colposcopia